04/03/2015

Opposants russes au Kremlin assassinés!

(AFP)


    Sont trop de victimes pour un pays lequel son président le considère comme démocratique. Et ce n'est que une partie des victimes! Est-ce le pouvoir n'a vraiment rien a voir avec tout ça? Trop difficile a y croire.

Nemtsov march's tribute! (Russian people is not sleeping)

(Reuters)

(AP Photo/Denis Tyrin)

(AAP Image/NewZulu/Andrey Borodulin)


       

     Two days ago thousands of people reunited in the streets of Moscow to give tribute to the opposition  leader Boris Nemtsov, murdered the day before, next to the Kremlin. For the opponents of the Putin's regime this was a evidence of unhappiness with what is happening in Russia, for the defenders it was a evidence on how democracy is real in this country. In my opinion I think russian people is not sleeping, despite all nationalist propaganda made by the regime against the internal and external opposition. That surprised me a little because since Putin arrived to power, the all system is controlled by him and so russian people is systematically indoctrinated to believe that opponents to the regime and the western world are responsible of all bad that exists in the country. But has this march showed, it seems that propaganda is not achieving complete success and people is very doubtful on what leaders are or not are doing. 
      Believe that this is a image of a democratic country is forget that for example the government didn't permitted the entry of ukrainian flags at this same march and so is more correct to believe in a existence of a no-democratic power that try to control all parts of russian society. By the way is very hard not to believe in a hand of the government in the assassination of Nemtsov and others opponents murdered before. I'm not saying that russian regime is guilty of these crimes and like any other crime is important to wait for conclusions but all signs guide to that conclusion. And even russian regime is not directly implicated on this crime, all nationalist propaganda made against the opposition has very probably influenced the one that had shoot against Nemtsov. So, there are few doubts on the moral responsibility of Putin and his government. Is almost certainly that this case will finish like others before. It will never be solved or it will be arrested the shooter or shooters but never the main responsible. 
      But for now what is important is the fact that the russian people is not sleeping and the regime is not 100% secure!



16/02/2015

Duas razoes para se considerar a guerra na Ucrânia como uma das mais absurdas de sempre!

       

          Todas as guerras sao por principio absurdas mas algumas sao ainda mais absurdas do que outras. Por exemplo a guerra na Ucrânia. Este país, desde a sua independência em 1991 até ao ano passado viveu em relativa estabilidade, apenas interrompida pela rivalidade entre aqueles que procuravam uma maior aproximação à União Europeia e aqueles que defendiam, pelo contrario, um aumento das relações com a Russia. Pode-se dizer que foi sempre um pais dividido entre estas duas partes, sendo que a maioria da população pro-Europa esta no lado ocidental e a população pro-Russia esta no lado oriental, portanto na fronteira com este país. Isto nunca impediu no entanto e como ja referido acima, a unidade da Ucrânia, da qual a organização do campeonato da Europa de futebol de 2012 foi o melhor exemplo. Por isso é extremamente difícil de compreender como é que apenas dois anos depois, este mesmo país esteja a ser atingido por uma guerra, na qual já morreram mais de 5000 pessoas. Mesmo essa rivalidade entre pro-europeus e pro-russos nao explica o facto de populações que sempre viveram em relativa harmonia estarem agora separadas por combates e resquícios de ódio entre elas. Dois motivos que talvez possam explicar esta tao rápida mudança de atitude e que também pode se aplicar a outros conflitos sao a existência de Estados e o comportamento colectivo. Quanto ao primeiro ponto, repare-se como muitos dos conflitos no mundo têm a sua origem na demarcação de fronteiras, em problemas mal resolvidos entre Estados vizinhos ou ainda em fronteiras feitas artificialmente sem se ter atenção aos povos que muitas vezes sao separados ou vivem muitos num so Estado. Exemplos temos muitos em Africa, no Médio-Oriente e na Europa a parte leste sofreu sempre muito mais à custa das fronteiras do que a parte oeste onde a estabilidade é muito maior. E aqui pergunta-se: nao seria melhor acabar com os Estados e abolir as fronteiras de forma a que todos aprendessem a viver em harmonia e acabasse assim um dos motivos mais fortes da existência de conflitos? De facto um sentido universalista do mundo seria muito mais benéfico para o futuro do nosso planeta. Isto porque os novos problemas que atingem o mundo sao problemas universais e que portanto seriam muito melhor combatidos se todos se unissem, e aqui refiro-me principalmente aos lideres mundiais, os quais devem ter um sentido de responsabilidade adaptado aos novos tempos e projectado para soluções a longo prazo que possam beneficiar as novas gerações. Neste sentido costumo separar os antigos problemas aliados ao poder, à influência e ao qual estão associados as guerras de fronteiras, de etnias, de religiões, etc, dos novos problemas como por exemplo as alterações climáticas provocadas pelo aquecimento global e tudo o que isso implica. Penso que chefes de Estado que pensam o mundo numa perspectiva de permanente jogo de poder estão desligados do presente e sem perspectivas para o futuro. Seria bom que o mundo começasse a pensar como um so, pelo menos naquilo que é mais susceptível de ameaçar o nosso equilíbrio como um todo. Dito isto, compreendo porém que a abolição de fronteiras seja um sonho utópico e portanto irrealizável. Isso nao impede no entanto que haja necessidade de uma maior colaboração a nível mundial para se lutar contra problemas muito mais graves do que disputas territoriais que nascem mais do ego de certos lideres do que motivos geopoliticos. Talvez um pouco ingenuamente sempre pensei que se devia resolver duma vez por todas os problemas territoriais para se passar a um nível superior. O terrorismo nao tem fronteiras, as alterações climaticas nao têm fronteiras, o fosso cada vez maior entre ricos e pobres nao tem fronteiras e apesar disso continua-se a pensar como num jogo de tabuleiro de conquistas e batalhas. Seria tao bom que se acabasse com isso para que se desse prioridade a assuntos mais sérios e urgentes.
         Quanto ao segundo motivo dos dois que estão na origem da mudança da atitude na Ucrânia, entre outros, esta de certa forma relacionado com o primeiro na medida em que é por demais conhecido o sentido manipulável do povo, embora seja um comportamento colectivo psicológico difícil de perceber. Repare-se como uma pessoa sozinha pode ter um certo comportamento mas ter outro quando inserido numa multidão. Repare-se como de repente pessoas de nacionalidades, religiões ou etnias diferentes mas que antes tinham relações cordiais e amistosas, deixam de se falar, separam-se de forma abrupta e por vezes entram mesmo em guerra sem que houvesse motivos entre eles para isso. E porquê? Porque essas pessoas perdem o sentido de auto-reflexão tao importante para a existência de bom senso para se perderem na multidão que segue uma voz de comando. E essa voz ou vozes sao os tais lideres dos quais falei acima que pensam ainda numa lógica de poder e manipulam o povo para que este apoie as suas ambições. Por isso a guerra é um absurdo. Absurdo porque as pessoas esquecem aquilo que eram, abandonam os seus ideais para abraçarem causas conflituosas que levam à inimizade e à violência. O caso da Ucrânia é bem simbólico da manipulação colectiva com dois níveis de conflitualizaçao que provam bem esse facto. O primeiro a nível interno entre adeptos da unidade e mais ligados à Europa e separatistas mais ligados à Russia e o segundo a nível externo entre ucranianos e russos. Nao esquecer que ambos os países têm uma longa historia comum (nem sempre positiva), duas línguas muito parecidas e a própria Russia nasceu no actual território da Ucrânia. As rivalidades sempre existiram mas tinha havido sempre bom senso para as impedir de se transformarem em conflito aberto. Infelizmente alguém decidiu pegar na Historia para justificar actos reprováveis e condenáveis. A propósito ja imaginaram o que seria se um dia um futuro rei espanhol decidisse invadir Portugal com a justificação por exemplo de que Portugal nasceu de um território cedido por um rei de uma futura região espanhola?  Seria uma violação do Direito Internacional mas a diferença é que enquanto a Espanha é um Estado militarmente com pouca expressão, na Ucrânia o país que esta por trás do apoio aos separatistas é um gigante de grande influência e poder de armas. Seja como for a guerra na Ucrânia é algo completamente desnecessário que tem destruído vidas humanas que nao tiveram culpa nenhuma de viverem no lugar errado, na altura errada. Teria sido preferível resolver os problemas que deram origem a essa guerra de forma diplomática e negocial, mesmo se isso demorasse bastantes anos. Pelo menos seria evitado todo este desastre humanitário a que assistimos. Espero que muito brevemente o bom senso retorne a todas as partes em conflito e a paz impere finalmente na Ucrânia como nunca devia ter deixado de ser.

15/02/2015

1965 - 2015: 50 anos do assassinato de Humberto Delgado!

     Fez cinquenta anos, esta sexta-feira passada, que o general sem medo foi assassinado pela PIDE! Um dos maiores heróis da nossa historia, de seguidor a oposicionista ao fascismo do Estado Novo. A sua campanha para as eleições presidenciais de 1958 fez abanar o regime de forma séria. Este nao caiu, mas foi o inicio do seu fim. Dezasseis anos depois, os capitães de Abril conseguiam finalmente concretizar o sonho de Humberto Delgado! Modelo de coragem, de honestidade, de seriedade e de tenacidade é uma figura que merece ser eternamente recordada


Maalak al-Khatib free!

       It was this last friday that the youngest female palestinian prisoner in Israel was freed. That was a time of joy for her, her family and friends. Now I hope that she use her experience, popularity and strength to  fight for her country  replacing the streets by everywhere where her voice can be heard!

10/02/2015

Milla Brown - touching story of a little girl that wants to be a boy!

     This is for all those that thinks transgender people are not normal people and that they mustn't have the same rights as the rest of the population. This is not a sin, this is not something wrong, they are not monsters! They have the same feelings, the same desires, the same thoughts or the same fears as anyone of us. I hope this video helps to end with that obscurity and ignorance that still exists nowadays.

08/02/2015

"Luz da Palestina"

       Ontem visitei uma exposição de pintura e caligrafia intitulada "Luz da Palestina". As pinturas sao de Samir Salameh e as caligrafias de Ahmad Dari. Algumas destas sao inspiradas em poemas de Mahmoud Darwich. Ficam aqui algumas fotos dessa exposição: