02/12/2014

Na India, duas irmas nao se deixam ficar e respondem a tentativa de agressao!


    Violência nunca é bonita mas depois de nos lembrarmos o que ja aconteceu tantas vezes em autocarros (e nao so) na India contra as mulheres so podemos compreender a atitude destas irmas indianas que lutaram contra individuos que tentavam molesta-las sexualmente! Esta provado que nao ha sexo fraco! Neste caso, as duas irmas Aarti e Pooja Kumar agridem 3 homens com murros e um cinto numa viagem de autocarro no estado de Haryana, reconhecido como perigoso para as mulheres. Defenderam-se e fizeram muito bem! Um acto de coragem que seria desnecessário se as mulheres fossem respeitadas mas em muitos lugares do mundo, a sociedade patriarcal levada ao extremo ainda impera e isso é uma violação da dignidade humana.

Tugce Albayrak - A coragem de nao se desviar!




       A Alemanha, esse pais que dizem ser frio de temperatura e de coração, saiu à rua para prestar uma sentida homenagem a uma jovem turca morta porque ao contrario de muita gente, nao virou para o lado e assumiu o risco e a coragem de tentar ajudar quem precisava. Tugce Albayrak, era esse o nome da jovem que já tem um lugar nesse grupo de pessoas que inspiram a lutar por um mundo melhor, tinha 23 anos, tinha nascido na Alemanha, filha de pais turcos e era estudante de ensino de alemão e ética na universidade de Giessen.
      Na madrugada do dia 15 de novembro, ela tentou intervir num caso de assédio sexual na casa de banho de um restaurante McDonald's em Offenbach am Main no qual três homens tentavam agredir duas jovens adolescentes. Como resposta foi violentamente agredida, tendo sofrido graves lesões cerebrais quando um dos homens deu o golpe fatal já quando ela estava perto do seu carro. Os médicos declararam a sua morte cerebral no dia 26 de novembro e os seus pais decidiram desligar o suporte de vida dois dias depois. Por triste coincidência, dia do seu 23° aniversario. 
      Como nao podia deixar de ser a sua morte provocou uma enorme emoção e o presidente da Alemanha, Joachim Gauck escreveu uma carta à família apresentando as condolências e chamando-a de modelo inspirador. Nessa carta, entre outras frases escreveu: "Onde outras pessoas olharam para o lado, Tugce mostrou uma coragem exemplar e uma força moral." No dia 27 de novembro milhares de pessoas fizeram um protesto silencioso em frente ao restaurante e no dia 29, o mesmo ocorreu por todo o pais. No dia 30, o futebolista suíço Haris Seferovic dedicou o seu golo na vitoria por 2-0 do Eintracht Frankfurt ao Borussia Dortmund à jovem turca. E porque é que eu partilhei esta historia? Porque também achei importante homenagear-la de certa forma, porque o seu nome merece ser lembrado e porque como disse o presidente alemão, nao meteu a cabeça debaixo da areia, nao assobiou para o lado e cumpriu com a sua missão de ser humano que é ajudar o próximo. Sei que alguns dirão que devia ter continuado o seu caminho mas a sua moral e sentido de solidariedade impediram-na de cair na cobardia de fugir. Quantos de nos poderão sentir uma tal tranquilidade da sua consciência?


30/11/2014

Veena Malik, victim of intolerant laws!

     Veena Malik is a well-known pakistani actress that was sentenced this last friday to 26 years on prison. Her husband, the director of a TV channel and the host of a TV show were each one condemned with the same sentence. Their crime? They didn't killed no one, not even steal. The hugh sentence was because Veena Malik and her husband reproduced their wedding in a TV show with at same time a religious song about the wedding of Prophet Muhammad's daughter being played. The sentence was so because of blasphemy. That's because of stories like this, that I think religion must be separated from politics and justice. I don't think Veena, her husband all those that entered in the show wanted to mock on the Prophet's daughter and so I think this sentence is far exaggerated. 
      People say that religion is peace and freedom but sentences by blasphemy are more an image of tyranny because like in a dictatorial political regime the justice refuse everything that can be a deviation of the official power, what ever that power can be, religious or political. So if religion is peace, why there are this laws with so much intolerance? And why they are so quickly used even when there's nothing that can't really be called a blasphemy on what happened in this TV show? Like in a dictatorial regime and his laws, religious laws can be used to intimidate people and so there's no real freedom in countries where justice is under religion like Iran or Pakistan. Each religion can have some indications that can be used in life as a guide to a tolerant and better understanding of the world but I don't think is well done to use a entire religious book (what ever it is) as a Constitution. The law must evolve and be together with the change of time and use laws based on very ancient books is nothing to do with the time we are living now. I only hope that this sentence will be annulated because is not deserved. 

27/11/2014

Cante alentejano - Património imaterial da humanidade!

     A UNESCO reconheceu hoje o cante alentejano como património imaterial da humanidade! Noticia excelente que enche de orgulho nao so os alentejanos como os portugueses em geral. Muitos parabéns e aqui fica alguns vídeos em forma de homenagem:






12/11/2014

Menino sírio salva menina de tiroteio num video falso!



         A cena passa-se aparentemente na Síria e mostra um miúdo a salvar uma miúda de um tiroteio. Mas aquilo que parece ser uma cena de heroísmo nao é mais do que uma cena de ficção filmada em Malta como se pode comprovar nesta noticia "Síria: a verdadeira guerra de um video falso." Tal como milhares de pessoas também acreditei que o video fosse verdadeiro embora também desconfiei na parte em que as duas crianças fogem dos tiros. Tendo em conta que em determinado momento abrandam, se bem que por poucos segundos, é estranho que snipers experimentados nao as tenham atingido. Seja como for é mais uma prova da falta de escrúpulos que invade a internet onde tudo serve para dar a conhecer o nome (neste caso da pessoa que fez o video) na internet mesmo que para isso se faça proveito do sofrimento em que vivem as crianças sírias. E depois o autor do video diz que é para chamar a atenção desse sofrimento. Exemplo de hipocrisia que abunda na internet com mentiras e manipulação de imagens. Usam-se meios imorais para supostamente fazer o bem e so nao apago este artigo porque as crianças merecem mais respeito porque é um dos conflitos mais mortíferos para elas de que ha memória! De acordo com o Oxford Research Group instalado em Londres mais de 11000 crianças ja morreram desde o inicio do conflito em 2011, 389 com idade inferior a 17 foram assassinadas por snipers e 100 foram torturadas*. Números absurdos que sao a maior prova do absurdo da guerra!



Relatório completo (em inglês)
* Texto editado a 16/11/2014

11/11/2014

Um caso de apedrejamento do EI ou a alienação do radicalismo!

         Reflecti muito antes de partilhar este video por causa da violência das imagens e porque também já toda a gente sabe da violência do Estado islâmico mas decidi por fazer-lo por uma razao que explicarei mais tarde. Primeiro direi uma palavra sobre o video. Neste uma jovem rapariga é condenada ao apedrejamento por crime de adultério. Trata-se do primeiro acto conhecido do género feito pelo EI. A certa altura os membros deste movimento perguntam ao pai da rapariga se a perdoa mas ele recusa e diz mesmo que ela nao é mais sua filha. Depois de muita insistência desta e dos próprios membros do EI ele acaba por perdoa-la, o que nao impede a prossecução do castigo. Castigo no qual o proprio pai acaba por participar.
         O que mais me chamou a atenção neste video, além claro da falta de humanismo e elevada intransigência do pai e do radicalismo dos membros do EI, e razão principal pela qual partilho-o foi o tom aparentemente normal com que os membros do EI falam de tal acto bárbaro como se fosse a coisa mais normal do mundo. Compreende-se o desespero da jovem mulher notado na sua voz mas é impossível compreender e aceitar a cegueira do próprio pai e o comportamento incrivelmente próximo do normal dos membros do EI. Repare-se como o homem que fala mais tempo do grupo emprega um tom quase simpático como se estivesse ali nao porque gostasse mas apenas porque é a lei e tem de ser cumprida. Repare-se como parece mesmo que esta a tentar consolar a jovem mulher e a tentar convencer o pai a perdoa-la para que ela possa entrar no paraíso. Isto depois da justiça criminosa imposta por ele mesmo e seus colegas de movimento. Penso que é um excelente exemplo de alienação extremista pois acham o apedrejamento tao normal que já nao conseguem distinguir o que é humano do que é totalmente ilógico!
         No final e como digo sempre, nao misturemos este radicalismo inumano e rastilho do absurdo com o a maioria do geral pensamento dos muçulmanos!

Para ver o video visite a ligaçao: http://m.clarionproject.org/news/video-islamic-state-stones-young-woman-accused-adultery (em inglês)

09/11/2014

Numa idade de sonhar vi a realidade da queda do muro!



Eu junto a um pedaço do muro de Berlim instalado em Bruxelas. BrunoⒸ2012

     

          Tinha eu treze anos na altura. Treze anos é idade de sonhar e sonhar foi de certeza o exercício de muita gente nesse ano magico de 1989. Ano que era a sequência de um processo iniciado alguns anos mais cedo e que iria levar a um final nao previsto por muita gente incluindo o seu próprio responsável. E naquele dia 9 de Novembro de 1989 a queda do muro de Berlim ficaria como o símbolo máximo desse final ao qual Fukuyama chamou o fim da historia. Data para sempre simbólica e por coincidência próxima de outra data feliz, o final da I guerra mundial no 11 de novembro de 1918. Eu tinha treze anos mas lembro-me de acompanhar todas as noticias que via sobre as revoluções no bloco de leste e o fim da guerra fria e ainda a infelizmente falhada revolução de Tiannamen. Sabia que estava a assistir algo único, que estava a ser testemunha da historia graças à televisão que de facto aproximava o mundo. Aquilo era o fim de uma era, o fim de uma utopia irrealista que acabara por ser uma ditadura onde ironicamente a divisão em classes estava mais do que presente. Penso que em toda a minha ainda curta vida o único acontecimento que vi com uma influência perene na historia foi os atentados do 11 de setembro de 2001. Acontecimento que veio de certa forma criar uma nova versão da historia mundial, voltando ao belicismo depois de um período de apaziguamento e paz. Mas voltando a 1989, passados 25 anos da queda do muro, o mundo mudou. Teria mudado na mesma, mesmo que o muro nao tivesse caído mas teria ficado, no essencial, igual com a antagónica divisão do mundo em dois blocos. Mas felizmente mudou e o fim da guerra fria trouxe o fim de vários conflitos regionais no mundo como por exemplo a guerra em Angola, trouxe o fim do apartheid na Africa do Sul ou ainda um dos melhores períodos do processo de paz israelo-palestiniano com Arafat e Rabin. Parecia que o mundo ia entrar no caminho certo mas isso é esquecer a pior parte da natureza humana. A parte que incentiva ao conflito, ao extremismo e o mundo actual em alguns aspectos parece pior do que em 1989. A arrogância norte-americana que depois do fim da URSS achou-se como única superpotência no mundo e por conseguinte incapaz de ser derrotada, o renascimento do nacionalismo militar do tempo da URSS aliado a um fascismo que substitui o comunismo na Russia, o advento do terrorismo religioso islâmico de caracter extremista e completamente diferente do terrorismo político árabe do passado e o aparecimento da China e dos novos países industrializados como o Brasil ou a Índia como países a ter em conta num xadrez internacional cada vez mais complexo sao alguns exemplos de um mundo que encontrou a liberdade em 1989 mas que enfrenta agora problemas mais complexos. E isto sem falar nos problemas ambientais que alguns teimam em nao reconhecer como uma urgência.
       Mas entretanto e porque a data é de festa vou continuar a sonhar e esperar que essa festa se prolongue com a queda de outros muros que continuam erguidos para impedir a paz, a harmonia e a união. E tenho a certeza de que quando isso acontecer serei mais uma vez testemunha televisiva!